Fome chega a 14 milhões de novos brasileiros

Desmonte de políticas públicas e Covid pioram cenário

A insegurança alimentar ganhou novas formas com a pandemia do novo coronavírus. No intervalo de um ano, o número de brasileiros que passam fome saltou 73,3%, de 19,1 milhões para 33,1 milhões, segundo dados apresentados pela segunda edição da pesquisa Vigisan. 

 

n/d

 

O estudo aponta para a maior proporção das famílias com renda inferior a um salário mínimo em situação grave de insegurança alimentar, especialmente entre aquelas que recebem até 25% do salário mínimo per capta, o equivalente a R$ 303. Entre elas, 43% convivem com a fome, o dobro do percentual apurado ao fim de 2020.

 

A situação também é grave entre os lares afetados pelo desemprego, assim como naquelas que recorreram ao endividamento, à venda de bens, ao corte de despesas essenciais ou não essenciais, ou ainda nas famílias em que alguém teve que abandonar os estudos. 

 

Conforme o levantamento, 14,3% dos domicílios tinha pelo menos um morador em busca de emprego, e em 8,2% dos lares, a pessoa responsável pela família estava desempregada no período de coleta da pesquisa.

 

De acordo com os pesquisadores, as evidências "revelam um preocupante agravamento da insegurança alimentar em um contingente expressivo da população brasileira, iniciado pela crise econômica e desestruturação de políticas públicas nacionais, desde 2016, e acentuado pela pandemia de Covid-19, que continuava a se propagar".//Correio do Povo


Rádio Pelotense - AM 620 KHZ

  3222-4334

NO AR

A Noite é Nossa

Ouvir agora

Desenvolvido por:

PluGzOne - Criação de Sites e Desenvolvimento de Sitemas Web, Mailmarketing, SMS em Pelotas - RS