2 em cada 3 mortes de bebês poderiam ser evitadas no Brasil

Riscos aumentam com queda da cobertura vacinal

O Brasil registra por ano 22,9 mil mortes de bebês de até 1 ano que poderiam ser evitadas se houvesse tratamento para doenças como diarreia. 

 

n/d

 

O risco aumenta com a queda da cobertura vacinal. Os dados são do Observatório de Saúde na Infância que fez uma média dos números registrados entre os anos de 2018 a 2020.

 

A avaliação indica que duas em cada três mortes de bebês desta faixa etária poderiam ser evitadas no país com ações como vacinação, amamentação e acesso à atenção básica de saúde.

 

A pesquisadora do Observa Infância Patricia Boccolini lembrou que, em 2019, o Brasil perdeu o selo de erradicação de sarampo, por causa da queda na cobertura vacinal, inclusive para outras doenças. 

 

Patricia, que é vinculada ao Núcleo de Informação, Políticas Públicas e Inclusão, informou que, no período de três anos, foram contabilizadas mais de 1,6 mil internações decorrentes de sarampo, número que não era registrado desde o início dos anos 2000. 

 

Em igual período, foram 26 óbitos de crianças abaixo de 5 anos por causa da doença.//Diário da Manhã


Rádio Pelotense - AM 620 KHZ

  3222-4334

NO AR

A Noite é Nossa

Ouvir agora

Desenvolvido por:

PluGzOne - Criação de Sites e Desenvolvimento de Sitemas Web, Mailmarketing, SMS em Pelotas - RS