Inpe pode deixar de monitorar desmatamento do cerrado

Serviço pode ser interrompido no próximo mês

O cerrado, a savana com a maior biodiversidade do planeta, pode virar um alvo fácil para desmatadores, que estarão livres para avançar sobre a fauna da região com o fim do monitoramento do Inpe, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. A verba destinada ao órgão para manter o programa de vigilância da região está chegando ao fim, e o serviço pode ser interrompido no próximo mês.

 

n/d

 

Desde o ano passado, organizações ambientais como o Instituto Sociedade, População e Natureza, o Instituto Cerrados e entidades que integram a Rede Cerrado alertam para o apagão de dados que pode atingir a área ambiental caso os recursos não sejam repostos. 

 

As informações colhidas pelo Inpe servem para nortear ações ambientais contra a degradação da natureza, apontam em que regiões o desmatamento está avançando de maneira mais acentuada e subsidiam operações de órgãos como o Ibama e a Polícia Federal.

 

O R7 entrou em contato com o Inpe, o Ministério do Meio Ambiente e a pasta da Economia para perguntar sobre a manutenção dos sistemas de vigilância e a alocação de recursos, a fim de garantir a continuidade dos programas. Até a publicação desta matéria, os órgãos não tinham respondido ao questionamento.// Correio do Povo


Rádio Pelotense - AM 620 KHZ

  3222-4334

NO AR

A Noite é Nossa

Ouvir agora

Desenvolvido por:

PluGzOne - Criação de Sites e Desenvolvimento de Sitemas Web, Mailmarketing, SMS em Pelotas - RS