Bolsonaro edita decreto com regras para exibição obrigatória de filmes brasileiros nos cinemas

Decreto estabelece o número mínimo de dias dedicados ao cinema nacional

Imagem da InternetImagem da InternetFoto: Internet

O presidente Jair Bolsonaro editou um decreto que estabelece o número mínimo de dias que devem ser dedicados em 2020 ao cinema nacional, pelas empresas proprietárias de complexos de exibição de filmes. O decreto foi publicado em edição extra do "Diário Oficial da União" desta terça-feira (24).

 

Conforme o texto, a empresa que tiver apenas uma sala de cinema, terá de exibir, no mínimo, 27,4 dias de filmes brasileiros. Nesse caso, a empresa terá de reproduzir três títulos nacionais diferentes.

 

O decreto anterior a esse, publicado em 2017 e que valeu em 2018, determinava 28 dias de exibição nesse caso. Não foram elaboradas normas para 2019.

 

A chamada “cota de tela” varia de acordo com a quantidade de salas da empresa que reproduz os filmes. Um complexo formado por mais de 20 salas, por exemplo, terá de exibir ao menos 24 filmes brasileiros em 2020.

 

Segundo o decreto, as empresas que ofertarem espontaneamente sessões com filmes nacionais a partir das 17h serão beneficiadas com uma redução de 20%, na hora do cálculo, da obrigatoriedade de exibição das obras rodadas no Brasil.

 

Uma medida provisória (MP) de 2001 obriga as salas de cinema a exibirem longas brasileiros por um número de dias fixo, definido anualmente por decreto presidencial. A legislação diz ainda que deverão ser "ouvidas as entidades representativas dos produtores, distribuidores e exibidores" para elaboração das regras.

 

A fiscalização do cumprimento da norma é de responsabilidade da Agência Nacional do Cinema (Ancine).

 

Fonte: G1


Rádio Pelotense - AM 620 KHZ

  3222-4334

NO AR

Atualidade Esportiva Edição de Sábado -

Ouvir agora

Desenvolvido por:

PluGzOne - Criação de Sites e Desenvolvimento de Sitemas Web, Mailmarketing, SMS em Pelotas - RS