IGP coletou mais de 4 mil perfis genéticos entre a população carcerária

Banco Nacional de Perfis Genéticos

Imagem da InternetImagem da InternetFoto: Internet



    
O Ministério da Justiça e Segurança Pública divulgou na manhã desta quinta-feira (05) o resultado do esforço dos governos federal e estaduais na coleta de perfis genéticos de criminosos para inserção no Banco Nacional de Perfis Genéticos (BNPG). No Rio Grande do Sul, mais de 4 mil detentos já fazem parte da base de dados. No País, o banco conta com 67 mil perfis genéticos. 

 

No Estado, as amostras foram coletadas pelo Instituto-Geral de Perícias (IGP) entre o início do ano passado e novembro de 2019. “Chegamos a fazer 1,3 mil coletas em apenas quatro dias na região da Serra”, destacou o perito criminal Gustavo Kortmann, chefe da Divisão de Genética Forense do IGP. A meta era completar o processamento de 3 mil amostras, no entanto, até o momento, 4.292 coletas de saliva de presidiários foram processados e armazenados, ou seja, 43% a mais do que o previsto.

 

A meta para 2020 é a de cadastrar mais 3 mil detentos. A meta estabelecida pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) de coletar 65 mil perfis genéticos de criminosos condenados em 2019 foi alcançada e superada, atingindo a marca de 67 mil.

 

O resultado inédito foi divulgado hoje pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, após participar de reunião do Comitê Gestor da Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos (RIBPG). O relatório semestral da RIBPG, com informações detalhadas, será divulgado nos próximos dias.

 

Do total coletado, aproximadamente 55 mil já estão cadastrados no Banco Nacional de Perfis Genéticos (BNPG), o aumento foi de 685% se compararmos com o relatório divulgado em novembro de 2018.

 

Fonte: Correio do Povo


Rádio Pelotense - AM 620 KHZ

  3222-4334

NO AR

Atualidade Esportiva Edição de Sábado -

Ouvir agora

Desenvolvido por:

PluGzOne - Criação de Sites e Desenvolvimento de Sitemas Web, Mailmarketing, SMS em Pelotas - RS