Eletrobras abre novo plano de demissão para desligar até 1.681 funcionários

Novo plano de demissão consensual

Imagem da InternetImagem da InternetFoto: Internet

A Eletrobras comunicou ao mercado que será iniciado nesta sexta-feira (11) um novo plano de demissão consensual (PDC). De acordo com a estatal, a meta é o desligamento de 1.681 empregados até 31 de dezembro.

 

O plano será implementado simultaneamente na Eletrobras Holding e nas subsidiárias Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica (CGTEE), Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), Eletrobras Termonuclear (Eletronuclear), Centrais Elétricas do Norte do Brasil (Eletronorte), Amazonas Geração e Transmissão de Energia (Amazonas GT), Eletrosul Centrais Elétricas (Eletrosul) e Furnas Centrais Elétricas (Furnas).

 

Em comunicado divulgado ontem (10), a Eletrobras informou que o PDC consta do Acordo Coletivo de Trabalho 2019/2020, assinado na quarta-feira (9) no Tribunal Superior do Trabalho (TST), no qual foi estabelecido o quadro de referência de empregados da companhia será de 12.500 efetivos a partir de janeiro de 2020 e de 12.088 a partir de maio de 2020.

 

Conforme o comunicado, a economia estimada no plano R$ 510 milhões ao ano, a um custo de cerca de R$ 548 milhões.

 

"A iniciativa em referência é muito importante para adequação dos custos de nossas empresas aos custos de uma empresa de referência do setor elétrico", afirmou a Eletrobras.

 

Para os funcionários de Furnas, a companhia oferecerá indenização aos que aderirem ao PDC, incluindo 40% do saldo para fins rescisórios do FGTS e aviso prévio. Segundo a agência Reuters, o incentivo indenizatório deverá variar de mínimo de R$ 75 mil reais até máximo de R$ 700 mil.

 

Fonte: G1


Rádio Pelotense - AM 620 KHZ

  3222-4334

Desenvolvido por:

PluGzOne - Criação de Sites e Desenvolvimento de Sitemas Web, Mailmarketing, SMS em Pelotas - RS