Temer envia carta a Dodge para questionar sua inclusão em inquérito

Temer afirma que encaminhou à Dodge um parecer

Imagem da InternetImagem da InternetFoto: Internet


Michel Temer é um político à moda antiga. Quando era vice-presidente, reclamou de ser "decorativo" a Dilma Rousseff em uma carta enviada à então presidenta. Agora no comando do Planalto, ele volta a apostar em missiva para expor suas insatisfações.

 

Nesta quinta-feira (8), o emedebista enviou uma carta a Raquel Dodge, procuradora-geral da República, na qual questiona sua inclusão no inquérito que investiga o pagamento ilícito de benefícios por parte da Odebrecht a políticos em troca de medidas tomadas pela Secretaria de Aviação Civil. Dodge entendeu que Temer pode ser investigado por crimes estranhos ao seu atual mandato, mas não pode ser alvo de denúncia.

 

Na carta, Temer afirma que encaminhou à Dodge um parecer de Ives Gandra Martins Filhos. Segundo o emedebista, o jurista teria encaminhado sua opinião sobre o artigo 86 da Constituição. O texto afirma que o Presidente da República, na vigência de seu mandato, não pode ser responsabilizado por atos estranhos ao exercício de suas funções, mas não deixa claro se ele pode ou não ser investigado. 

 

Fonte: Carta Capital


Rádio Pelotense - AM 620 KHZ

NO AR

Jornal Regional

Ouvir agora

Desenvolvido por:

PluGzOne - Criação de Sites e Desenvolvimento de Sitemas Web, Mailmarketing, SMS em Pelotas - RS